Review 1 – Karen and the Pirate Island

Este é o primeiro review do blog. Vou tentar criar um formato específico para reviews nos próximos, mas queria fazer logo um primeiro para dar um gostinho do que vem por aí.

Neste primeiro, vamos falar um pouco sobre o novo jogo do criador do Shephy, chamado Karen and the Pirate Island (infelizmente o jogo ainda não tem entrada no BGG, e a página do jogo, que pode ser vista aqui no site do Adventure Planning Services (que é a editora), também tem pouca coisa).

O jogo é um deckbuilding para ser jogado solo.

A história é que a Karen estava num passeio de barco da escola, o barco naufragou e ela foi levada para uma ilha, onde há piratas. No jogo, ela passar por aventuras e tenta decifrar lembranças do passado, ficando assim mais forte, até conseguir derrotar o navio pirata e escapar da ilha.

Por acaso (ou não, já que parece uma inspiração), o jogo lembra um pouco o Friday.

FICHA TÉCNICA

Nome: Karen and the Pirate Island

Designer: Pawn

Publisher: Bouken

Ano de publicação: 2016

Número de jogadores: 1

Tempo de jogo: 15 minutos

Preço: ¥ 1,900 (aproximadamente R$ 60) no Japão

Onde comprar: a forma mais fácil é comprar na Sugorokuya, eles enviam para qualquer lugar do mundo. A Amazon Japan também vende, mas eles nãoi costumam enviar jogos para o exterior (neste caso, é necessário usar um serviço de shipping forward como o Tenso).

COMPONENTES

A caixa é do mesmo estilo da caixa do Shephy e de outros jogos do Adventure Planning Services.

Karen 1

As cartas de aventura abaixo são o cerne do jogo. Maiores explicações mais abaixo.

Karen 2

As cartas de lembranças dão pontos.

Karen 3

Abaixo está o marcador de pontos de vida. O início é com 20, e vai-se usando os pontos de vida ao longo do jogo. Se chegar no zero, bau-bau, fim de jogo e a Karen fica presa para sempre na ilha pirata.

Karen 5

O jogo está em japonês e inglês, mas infelizmente o manual que vem só está em japonês (o publisher disse que vai colocar o manual em inglês no site, mas ainda não fez isso). Por sorte o jogo é simples, então traduzi as regras em meia hora (em um post futuro vou explicar como traduzir jogos em japonês usando o aplicativo do Google Translate do celular).

Karen 4

FLUXO BÁSICO

No setup, criamos um deck de eventos (que contém as aventuras que devem ser “derrotadas” (no sentido de serem realizadas) e lembranças que precisam ser “decifradas”, e o deck inicial da Karen (que possui ações básicas com um certo número de “poder”( 0 e 1), que serão usadas para realizar as aventuras e decifrar as lembranças. Algumas cartas tem habilidades especiais que podem ser usadas uma vez por jogo. Abre-se duas cartas do deck de eventos, e a Karen escolhe entre confrontar uma delas, ou fugir de ambas. Se ela realizar a aventura, a carta vira de lado e vai para o descarte do deck da Karen (e será reembaralhada junto com o deck quando o mesmo acabar). Se ela decifrar lembranças, a carta vai para um descarte especial, e valerá ponto no final do jogo. O jogo vai seguindo esse fluxo até a Karen derrotar o navio pirata (ganhando o jogo, e aí conta-se os pontos para ter uma idéia de como foi a vitória), ou acabar o HP (quando ela perde).

O setup está abaixo.

Karen 6

Abaixo é possível observar a montagem usada durante o jogo. O deck de eventos é onde estão as aventuras e as lembranças. O deck da Karen é o deck que vai sendo “aumentado” com experiência e lembranças.  Sempre que a Karen for realizar uma aventura ou decifrar uma lembrança, 4 cartas são abertas para contar o número de “poder”. O descarte do deck da Karen é onde essas cartas, assim como qualquer carta de aventura completada, são depositadas, e o mesmo é reembaralhado em um novo deck quanto o deck da Karen terminar. A cada turno abre-se duas cartas de evento. O descarte do deck de eventos é para onde os eventos que não são realizas ou lembranças não decifradas vão, e ele é reembaralhado em um novo deck quando o deck de eventos termina. O descarte das lembranças é onde as lembranças decifradas vão, e conta-se os pontos das mesmas no final do jogo.

Karen setup

PASSO A PASSO

Karen 7

Karen 9

karen 8

Karen 10

Karen 11

Karen 12

Karen 13

Karen 14

Karen 15

Karen 16

Karen 17

Karen 18

Karen 19

Karen 20

Karen 21

Karen 22

Karen 23

Karen 24

Karen 25

Karen 26

IMPRESSÕES E CONCLUSÃO

Minhas impressões

Uma das coisas que gosto nos jogos orientais é que muitos são rápidos, com mecânicas redondas (e muitas vezes com o tema ficando bem imerso nas mecânica) e pequenos em tamanho (mas também adoro jogos gigantes :-P).

Karen and the Pirate Island é mais um exemplo desses. Mecânicas simples, pequenos e joga em 15 minutos. No caso, por ser solo, é possível jogar sempre que se quiser.

Joguei só uma vez para testar antes de fazer esse review, mas o jogo me pareceu bem legal. Perdi na primeira partida, mas isso é comum neste tipo de jogo – são necessárias pelo menos algumas partidas para se pegar o “jeito”do que se tem que fazer, e aí começar a progredir.

Como ele se compara com Friday e Shephy?

Não acho possível comparar diretamente após jogar apenas uma vez, mas, até por ter jogado muito mais vezes Friday e Shephy, me parece que Karen and The Pirate Ship não seja tããão bom quanto os outros dois, mesmo sendo bem bom. Pode ser que essa opinião mude jogando mais. Eu gostei MUITO de Shephy, o primeiro jogo solo do designer de Karen and The Pirate Ship, então eu diria que provavelmente o nível de satisfação de ambos seja parecido ao jogar mais. Por outro lado, há duas reviews na Amazon Japan no momento que dizem não ter gostado muito do jogo.

Conclusão

A partir da impressão inicial, e do fato do jogo ser relativamente barato e proporcionar pelo menos algumas possíveis dezenas de partida, diria que vale muito a pena. Obviamente, como é um jogo japonês e que provavelmente não terá distribuição fora (assim como Shephy), pode ser não interessante importar direto, mas com certeza valeria a pena adquirir se você for comprar mais jogos do Japão.

Este primeiro review é um teste para futuros reviews neste blog. Se você ler o review, por favor deixe comentários sobre possíveis melhorias futuras, assim como jogos que você quer ver analisado aqui!

Marcelo Antunes Written by:

Jogador de tabuleiros modernos desde 2009. Viciado em jogos de tabuleiros orientais desde 2013. Player of modern boardgames since 2009. Addicted to oriental boardgames since 2013.

6 Comments

  1. Feupos
    abril 16, 2016
    Reply

    Muito bacana o review, achei legal deixar a explicação de como funciona o jogo pra quem tiver interesse em comprar! ☺

    • Marcelo Antunes
      abril 17, 2016
      Reply

      Valeu, como alguns jogo japoneses são meio esquisitos, acho bom colocar uma explicação para o pessoal ter um feeling, além de ajudar, conforme você mencionou, na decisão de compra. Abraço!

  2. Rodrigo Deus Fontes
    abril 19, 2016
    Reply

    Gostei do conteúdo e acho ficou bem explicado e redigido, porém… Por favor… Pelo amor de Goku: faça um de STONE GARDEN!!

    • Marcelo Antunes
      abril 19, 2016
      Reply

      Vai ser o próximo!

  3. Leon Cândido
    abril 20, 2016
    Reply

    Muito bom mesmo esse review!eu já sei jogar esse jogo perfeitamente rsrs poste mais,por favor!

    • Marcelo Antunes
      abril 20, 2016
      Reply

      Que bom gostou, o próximo review já está sendo preparado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *